História do Oceano

Formação do Oceano

Após a formação da Terra há cerca de 4,6  bilhões de anos, enormes quantidades de vapor de água foram libertadas dos vulcões e da superfície do planeta em fogo. Assim formou-se uma grossa, pesada e quente massa de nuvens envolvendo todo o planeta. Alguns milhões de anos mais tarde, logo que a temperatura da superfície da crosta terrestre atingiu uma temperatura critica, ocorreu a condensação deste vapor. Logo a água junta formou um “Oceano Primitivo”.

Este Oceano Primitivo, formado há mais de 4 bilhões de anos, era muito diferente. As águas eram ácidas e a sua temperatura rondava o ponto de ebulição assim a agua evaporava e condensava muito. Então, grossas  e fortes chuvas quentes, iniciaram o primeiro ciclo hidrológico da Terra, muitas tempestades fortes com raios e trovões.

Parte da água dessas precipitações voltava à atmosfera por evaporação. O resto preencheu as depressões primárias da superfície do globo, vindo a formar o primeiro grande oceano de nosso planeta.

Forças da natureza
A força que o oceano exerceu sobre a costa primitiva ajudaram a moldar o relevo do globo. Assim, entre 4 e 2 bilhões de anos, o fundo do mar abriu-se em diversas fissuras, permitindo o contacto do magma com a água. moldaram-se os fundos oceânicos e iniciou-se um processo de deslocamento das diferentes placas tectónicas. A ideia basica sobre a fragmentação do continente de Gondwana foi do cientista alemão AIfred Wegener (1880-1930).

Muitos pensam que por muito tempo, houve um oceano principal; o Paleopacífico, e um gigantesco bloco de terras emersas; o continente de Gondwana, que eram América, África, Europa, Ásia e Austrália, e que se manteve junto por dezenas de milhões de anos. Sua fragmentação, iniciou-se em meados da Era Mesozóica(há cerca de 180 milhões de anos), originando a divisão do mar único em um mosaico de oceanos e continentes.

As ideias básicas sobre a fragmentação do continente de Gondwana foram do cientista alemão AIfred Wegener (1880-1930).

Este movimento não parou, e ainda origina catástrofes naturais como terramotos e erupções vulcânicas.

NOME DOS OCEANOS:

Oceano Pacífico:

O nome foi-lhe dado em 1520 na expedição de Fernão de Magalhães e deve-se ao
bom tempo que os marinheiros encontraram enquanto atravessavam o Pacífico.

Oceano Atlântico:

A palavra Atlântico é de Atlas, deus da teogonia primitiva grega que
sustentava sobre as suas costas o céu.
“Atlântico” era usado na antiguidade para designar o oceano a oeste da
Europa. De acordo com Hérodote, este nome é do povo dos Atlantes
que habita em Marrocos jundo ao monte Atlas.  Mas esse nome desapareceu,
na Idade Média, quando se utilizava o nome de “Mar
Ocidental” ou “Mar do Norte”. O responsável pelo reaparecimento do nome
“Atlântico”, foi o geógrafo Mercator ao colocá-lo no seu célebre mapa do
mundo em 1569. A partir deste momento o nome foi
gradualmente sendo subsituído por este, que esta até hoje
dias.

Oceano Índico:

Recebeu este nome pela sua proximidade ao sub-continente da Índia.

Oceano Artico:

Recebeu o nome da constelação Ursa Maior (arktos=urso).

Oceano Antártico:

A sua localização no Hemisfério Sul foi o motivo deste nome. Antártico
significa estar oposto ao Ártico (“anti-artico”).

About these ads

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: